segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Mnemosine


Emudecida está minha voz
A lira não mais geme amarga e triste
Somente uma lembrança punge atroz
Sob a lágrima que na face insiste

Sorrindo em versos num sermão de pranto
Distante das breves manhãs frias
Que o silêncio se converta em canto
Preenchendo espaços com ironias

Olhares vazios sob o calor da aurora
Momentos raros de uma vida insípida
Que sejam eternos os risos de outrora
Desenhando em cores uma despedida

Quando só restam devaneios insanos
No peito a dor da perda invade
Enquanto o tempo se divide em anos
Faltam palavras para expressar saudade...


















Paullo Lenore


13 comentários:

  1. Nossa vc fica dias ,.; semanas sem entrar e qdo entra ,.; chega arrasando.
    Não para não meu anjo, é simplesmente perfeito o q vc faz.amo seu blog

    ResponderExcluir
  2. Interessante teu blog! Voltarei mais tarde pra olhar melhor e comentar!

    Estou seguindo! Segue o meu blog também?

    http://rejanebruck.blogspot.com
    Bj!

    ResponderExcluir
  3. retribuído.Bem legal seu blog cara.

    ResponderExcluir
  4. Linda poesia. Belas palavras.
    Valeu a pena esperar, suas obras são incríveis.

    Até mais.
    Boa semana! =]

    ResponderExcluir
  5. parabéns pela sua sensibilidade poética!
    o blog está dez. Volto sempre!

    ResponderExcluir
  6. Obrigada!
    Mnemosine é a deusa ou alguma coisa da memória, não é?
    Bela poesia!
    seguindo!

    ResponderExcluir
  7. Não entendo muito de poesia, mas acho muito legal quando elas estão dentro das músicas. Esta daria uma boa composição...
    www.eissoaicampeao.com

    ResponderExcluir
  8. Acho que sou suspeita em falar o quanto gosto dos seus textos, mas vamos lá...
    muito bom!

    ResponderExcluir
  9. Mnemosine... a titâmide... a personificação da memória. Título bem escolhido enquanto a poesia discorre sobre uma tristeza não esquecida. Belas palavras traduzem seu sentimento, isto é ser poeta – conseguir, através das palavras, expressar os pensamentos e sentimentos humanos. Sentir é estar vivo e escrever sobre é ter disposição de usar seu dom e sua arte. Parabéns e escreva sempre mais e mais.

    ResponderExcluir
  10. bela poesia. A memória e a saudade estão entrelaçadas. As vezes sentimos falta do que vivemos no passado e, em outros casos, sentimos falta do que nunca tivemos!
    blogestarcomvoce.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Passei por qui para retribuir a visita que me fez e acabei surpresa como o seu trabalho por aqui *.*
    Parabéns! Você escreve muito bem! Adorei o poema! Fico feliz de saber que que esta ferramenta (blog) está sendo tão bem utilizada por pessoas como você :) ... apesar de achar que você deve ouvir muito isso, eu não poderia deixar de dizer ^^ ... e o parabenizo mais uma vez pela iniciativa ... as vezes eu tenho vontade de postar textos de minha autoria, não que eu os escreva, mas tenho vontade, fiz isso apenas uma vez em para um concurso pequeno, por isso o admiro.

    O poema é realmente excelente... as escolha de palavras, o sentimento que flui por elas, exala sua inspiração ^^

    Agradeço por seu comentário no blog, espero que volte, pois é sempre bom saber a opinião de pessoas tão sensíveis como você :)

    Até mais!

    www.aoleitor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Lindo, muito bem extruturado....Como disse Mario Quintana " Um bom poema é aquele que nos dá a impressão de que está lendo a gente... e não a gente a ele!" . Parabens....

    ResponderExcluir