segunda-feira, 6 de junho de 2011

L'excessive


Trago interiormente todas as respostas para minhas aflições e dúvidas. Acorrentadas, elas permanecem presas e ocultas dentro do livro da minha existência. Livro ao qual possui páginas desgastadas, desperdiçadas, e outras nem mesmo escritas. Dentre rabiscos e palavras desconexas me perco no vão dos meus sentimentos. Verdades expostas com frieza me fazem querer fugir de mim. Numa fuga trilhada em círculos que sempre me leva de volta à minha verdadeira essência intrigante. Perco-me nos meus excessos e sempre me encontro em minha própria ausência. Seria tão mais fácil reconhecer e aceitar o que meu peito grita e minha alma chora. Sem maximizar sentimentos e me disfarçar com emoções. Porém, meu medo me cega e meu apego me emudece. Quando penso que me conheço o suficiente para medir minha coragem de admiti-lo, percebo que sou apenas um desconhecido, e que o livro de minha existência permanece aberto e estático apenas em uma introdução superficial do que ainda está por vir..